Epica parabeniza a Argentina

Postado por Renan em julho - 12 - 2014 0 Commentários

Mesmo depois do Mark ter “apoiado” o craque Messi (veja aqui), a Argentina derrotou a Holanda, na decisão por pênaltis, na Copa do Mundo. O Epica, então, parabenizou o time latino-americano pela vitória em sua página oficial no Facebook. Mas agora a Holanda enfrenta o Brasil para decidir quem fica com o 3º lugar. Que ambas as seleções façam um bom jogo!

 

 

Bastidores PinkPop 2014

Postado por Jana Simão em julho - 10 - 2014 0 Commentários

Na última edição do festival holandês PinkPop, o Epica esteve presente e gravou um vídeo dos bastidores

da apresentação no evento! No vídeo podemos ver os membros da banda jogando, participando de entrevistas, meet&greet e mais!

Confira ! ;)

“Last month we performed at Pinkpop festival where we shot a special After movie with live and backstage footage!”

 

Mark Jansen: “Messi! Messi!”

Postado por Renan em julho - 7 - 2014 0 Commentários

O Mark postou um vídeo em que ele apoia, claramente, o craque argentino Messi.

Ou não.

Às 15h (horário de Brasília) o show do Epica no Pinkpop Festival será transmitido em live stream. A banda afirmou que, devido ao tempo que ficarão no palco, o setlist só contará com faixas do The Quantum Enigma. Quem vai assistir?

É só clicar no link abaixo:

http://www.3fm.nl/live?stream=pinkpop

Review – The Quantum Enigma Release Show

Postado por carlos em maio - 23 - 2014 1 Comentário

Pessoal segue abaixo a Review  que eu fiz sobre o show de lançamento do The Quantum Enigma no dia 30/04/14.

Para mais fotos do show, acesse o flickr do ANAD clique aqui 

Segue fotos do acústico que ocorreu no dia 01/05/14 em amsterdã clique aqui

Cheguei à fila por volta das 17:30 e ela estava relativamente pequena. Esperei um pouco até às 18:20 quando o pessoal começou a se mover para entrar, nesse momento percebi que estava na fila errada e poderia ter entrado desde as 18:00 devido ao acesso vip. Fui pra fila correta peguei meu kit e entrei. Aguardei cerca de 10 minutos numa espécie de salão de espera até que eles abrissem os portões da casa. Às 19:00 em ponto entrei na casa e consegui meu lugar na grade no lado direito do palco olhando da plateia, de frente pro Issac e Ariën. Vi que o equipamento do Epica já estava montado, porém coberto. Às 19:30 começa o show do Insomnium, só conhecia uma música da banda, então não comentarei muito, mas o show foi bom. O pessoal parecia estar gostando bastante ele foi bem curto, às 20:20 já tinha acabado.

Após o fim do show de abertura peguei a bandeira do Brasil e pendurei na minha frente, já fui aprontando a câmera e me preparando para o que estava por vir. o equipamento do pessoal do Insomnium foi retirado e foi revelada a arte que será usada no fundo do palco durante essa tour: 5 belos painéis representando Nascimento, Vida e Morte como na capa completa do The Quantum Enigma, havia também dois painéis separados com alguns símbolos comuns na física quântica e estampados também na roupa de cada um dos integrantes da banda.

Por volta das 20:40 começa o show com Originem e aos poucos a banda foi entrando, essa definitivamente é a intro mais legal já feita pelo Epica (roubou o 1º lugar de Indigo pra mim). Assim que acabou seguiram com The Second Stone e vários efeitos pirotécnicos vieram juntos: Chamas, Fogos, Fumaça. Simone entra no palco e começa a cantar, notoriamente muito feliz e bem animada (assim como todos da banda), sorriso para todos os lados, brincando com o pessoal da banda, arriscando umas dancinhas super engraçadas e claro com uma voz melhor do que nunca, ela descobriu em qual estilo a voz dela se destaca mais e investiu pesado nisso (ou foi a gravidez que fez um bem enorme para ela!).

O show seguiu com The Essence Of Silence, primeiro single do álbum, e mais efeitos pirotécnicos vieram, essa é uma das músicas que eu mais gosto do CD e estava muito ansioso para escutar ao vivo, confesso que me surpreendi, a música aparenta ser bem mais pesada e a voz da Simone foi perfeita do inicio ao fim. Segurou com facilidade todos os agudos existentes na música, e Ariën destruindo a bateria como de costume.

Pararam para falar com o público, confesso que não entendi nada, pois estavam falando em holandês, mas acho que estavam agradecendo e falando o quão felizes estavam por estarem finalmente apresentando o novo álbum ao vivo.

Começaram então a tocar Victims Of Contingency, música bem pesada e relativamente curta para os padrões do Epica com um refrão bem marcante que animou bastante o público.

Seguiram com Sense Without Sanity – The Impervious Code, uma das maiores e mais belas do CD, com um refrão muito bonito e com uma letra muito forte.

Pararam para falar com o público mais uma vez e anunciaram que iriam tocar Unchain Utopia, essa música ficou muito boa ao vivo, como já era conhecida do público, chegaram a tentar acompanhar e teve mais efeitos pirotécnicos.

Pararam mais uma vez para falar com o público e pra falar que nem só de The Quantum Enigma é feito o Epica, e tocaram The Obsessive Devotion seguidas de Blank Infinity, Unleashed e Storm de Sorrow. O público ficou muito animado, pois eram músicas conhecidas, então, agitaram bastante.

Começou a The Fifth Guardian, e o que aparentavam ser 3 dragões chineses entraram no palco. Após o show descobrir que na verdade eram leões e que estavam fazendo a dança do leão (uma dança tradicional chinesa). A apresentação foi belíssima e combinou perfeitamente com a música.

Após os leões saírem do palco, começou Chemical Insomnia, outra música bem pesada do álbum que eu estava esperando muito para ver como seria ao vivo.

Já emendaram com Reverence – Living In The Heart, outro ponto alto do show, já que essa, na minha opinião, é uma das melhores músicas do album, com uma letra muito boa e um coral marcante no refrão.

Um momento de aparente calma e começa Omen – The Ghoulish Malady, só na aparência mesmo, pois a música é bem pesada e tem um coral bem forte, possui um refrão que funciona muito bem ao vivo, quase dançante, que por conta disso deve ser uma das escolhidas para fazer parte do set list da tour.

Pararam para respirar e falar um pouco com o público para anunciar que iriam tocar a única balada do CD da forma de como deveria ser tocada, diferente dos acústicos em que ela foi apresentada até hoje. Assistentes sobem ao palco para acender duas fogueiras e então começa Canvas of Live, que ficou muito melhor que a versão acústica.

Começa, então, Natural Corruption, outra música que é quase certa de estar no set list da tour. Lembra bastante Quietus é bem animada e funciona ao vivo.

Nada me preparava para o que estava por vir, quando começou a intro de Kingdom of Heaven, o público foi ao delírio, fazia tempo que eles não tocavam essa música ao vivo e ainda estenderam ela um pouco mais do que a versão do CD. E, agora, tocá-la ao vivo era mais especial, pois assim que ela foi finalizada já emendaram com The Quantum Enigma – Kingdom of Heaven parte II, que começou com umas vocalizações muito bonitas feitas pelo vocalista Daniel de Jongh do Textures. As duas músicas juntas foram perfeitas, espero que decidam manter essa dobradinha durante todos os shows.

Após o final, toda banda saiu e, minutos depois, volta o Coen para falar conosco e diz que vão tocar mais uma música, uma que eles quase nunca tocam e começa Cry for the Moon. Claro que não poderia faltra ela no show, nunca deixaram de tocar em nenhum e não seria agora que ficaria de fora, o público inteiro cantou a música e assim o show foi finalizado.

Valeu a pena ter saído do Brasil e ter assistido esse show, vai ficar na minha memória para sempre, a banda voltou com energia renovada, tudo soou tão diferente do que era nos outros álbuns… agora é outra energia, tudo novo, mal posso esperar para que essa tour chegue ao Brasil e eu possa acompanhar o shows.

Review por Carlos Telles

Fotos do show por Carlos Telles

Fotos do acústico por Paula Abrahão

FÃ CLUBE






DESTAQUES